ISSN, ISBN ou DOI? Descubra agora qual é o melhor registro para o seu evento científico

ISSN, ISBN ou DOI? Descubra agora qual é o melhor registro para o seu evento científico

Se você está organizando um evento acadêmico e ainda não sabe qual identificador utilizar, continue lendo! Comparamos cada um deles para determinar qual é o melhor registro para evento científico.

Os congressos, simpósios, workshops e seminários acadêmicos são uma forma excelente de disseminar o conhecimento, novas descobertas, além de valorizar o trabalho dos pesquisadores. E para que o conteúdo científico seja divulgado, é necessário registrar o evento.

Pense em quantos eventos tem o mesmo nome. O registro funciona como um documento, como a identidade que tornará seu evento único!

Para registrar seu evento, você pode utilizar o ISBN, ISSN ou o DOI. Antes de mais nada, vamos entender o que é cada um dos registros. Ao final, vamos comparar cada um deles e verificar qual é o melhor registro para evento científico.

 

ISBN INTERNATIONAL STANDARD BOOK NUMBER

O ISBN é o Número Padrão Internacional de Livro. Este registro é uma identificação única para livros e publicações não periódicas. Ele identifica numericamente os livros utilizando o título, autor, país e editora. O número pode variar de acordo com a edição e versões digitais.

O ISBN também é utilizado para identificar software. O sistema numérico é convertido em código de barras. Assim, acontece a eliminação de barreiras linguísticas e a circulação e comercialização mais fácil das obras.

Quando uma obra recebe um ISBN, o número se torna exclusivo e jamais se repete em outra. O registro facilita a interconexão de arquivos e a recuperação e transmissão de dados em sistemas automatizados. Por isso o ISBN é adotado internacionalmente: ele simplifica a busca e a atualização bibliográfica.

A Agência Internacional do ISBN regula o sistema e utiliza os dados para compor o Registro Global de Editores. No Brasil, o registro é coordenado e supervisionado pela Biblioteca Nacional, em parceria com a Fundação Miguel de Cervantes.

Em 2007, devido ao aumento de publicações, o ISBN foi atualizado e passou a ter 13 dígitos. Adotou-se o prefixo 978.

Características gerais:

  • Não exige periodicidade da publicação
  • O processo de registro é online
  • Ter um ISBN faz a publicação aparecer nas bases de dados bibliográficos

 

ISSN – INTERNATIONAL STANDARD SERIAL NUMBER

A sigla significa Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas. É um código internacional exclusivo para obras publicadas em série: desde o lançamento, passando pela circulação até o encerramento da obra. É utilizado em revistas, jornais, anais de eventos e periódicos científicos.

Os materiais que possuem ISSN precisam, obrigatoriamente, ter uma periodicidade. Caso haja mudança na frequência de publicação, é necessário informar ao Centro Brasileiro de ISSN. Poderá ser necessário atribuir um novo código ao periódico.

O documento registrado com ISSN terá o mesmo número, independentemente de quantas versões forem feitas. E essas versões podem ser online, impressa, digital ou CD-Rom.

As versões físicas em meios físicos diferentes deverão ter códigos ISSN diferentes. A regra também é válida para versões em diferentes idiomas de uma mesma publicação online. E, para as publicações online, o código só poderá ser atribuído nas que já tiverem o primeiro fascículo disponível na internet.

O número ISSN possui oito dígitos e, para obtê-lo, é necessário fazer a solicitação através do site IBICT.

Características importantes:

  • Exige periodicidade da publicação
  • Mudanças no documento deverão ser informadas e o número poderá mudar por isso
  • O processo de registro não é automatizado

 

DOI – IDENTIFICADOR DE OBJETO DIGITAL

Como o nome já diz, o registro DOI é utilizado para identificar objetos digitais. Serve para diferentes segmentos, como literatura científica, profissional e até informações governamentais. Ele facilita a busca e a garante a originalidade dos conteúdos disponibilizados online.

O DOI é padronizado pela International Organization for Standardization (ISO). O código inclui uma URL contendo as principais informações do objeto digital. Sua funcionalidade é parecida com a do ISBN e ISSN, pois o objetivo dos três registros é a identificação única de objetos.

Este código pode ser aplicado tanto em publicações inteiras como em base de dados, figuras, tabelas, gráficos e dados complementares de um trabalho.

O código DOI é dividido em prefixo e sufixo. O prefixo indica o publicador do documento, enquanto o sufixo é determinado pelo responsável pela publicação do objeto.

O prefixo do DOI é determinado pela IDF (International DOI Foundation), que garante a unicidade. Já o sufixo de livros e periódicos é determinado pelos identificadores como ISBN, ISSN ou dados bibliográficos da obra.

Os editores podem solicitar o prefixo DOI no site da CrossRef.

Características importantes:

  • É permitido apenas para trabalhos originais, não serve para a republicação de um artigo
  • É parte integrante da informação bibliográfica básica
  • Possibilita que um autor busque outros artigos através das referências

 

OK… MAS QUAL É O MELHOR REGISTRO PARA EVENTOS CIENTÍFICOS?

Calma! Não precisa se perder no meio de tantas informações. Vamos revisar e comparar as principais características de cada registro.

Uma vantagem interessante do ISBN é que recentemente a Agência Brasileira de ISBN implantou o sistema online de solicitação. O ISSN ainda não é automatizado, por isso é um processo lento e burocrático. Os anais precisam ser enviados fisicamente ao Centro Brasileiro do ISSN /IBICT.

O ISSN, por outro lado, pode parecer um vantajoso registro para eventos científicos porque é atribuído uma única vez e utilizado em todas as edições. Mas apesar disso, qualquer mudança no periódico deve ser informada ao IBICIT, e poderá ser necessário atribuir um novo código ISSN.

E para publicações online, é preciso já ter disponibilizado o primeiro fascículo da publicação online para poder atribuir o código ISSN. Além disso, versões em idiomas diferentes de uma mesma publicação online devem ter ISSN’s diferentes.

Para facilitar, confira a tabela abaixo comparando as principais características do DOI, ISBN e ISSN:

Agora ficou mais fácil escolher, não é? Se ainda tiver alguma dúvida, comente e a gente vai ajudar você.

REFERÊNCIAS

http://www.isbn.bn.br/website/

Compartilhe:

Related

Comentários no Facebook